Quando o ar se precipita em saudade
Quando o tempo olvida a distância
O instante rompe-se
Asfixia o dia
E tudo o que nele há

O corpo rende-se
a mil texturas famintas
Fazendo do corpo um corpo

Anúncios